quarta-feira, 17 de setembro de 2008

Poema 14

a fuga muda dos teus olhos
miro digiro
esse tiro:


lágrimas vertidas
convertidas
num mutismo agudo.

me levanto
me afundo no canto
num porto seguro enquanto
não adormece a lembrança
maré contra teu peito raso
que não esquece aquele sujeito

(entre a gente no leito)
e o desfeito
no ocaso.





( Por Alan Miranda)

2 comentários:

layla disse...

!

Lara-Larissa disse...

"maré contra teu peito raso
que não esquece aquele sujeito

(entre a gente no leito)
e o desfeito
no ocaso."

ui...